Audiência Pública é realizada com tratativas da Saúde Pública de Belo Jardim.

Na última segunda-feira, dezessete de setembro, ocorreu na Câmara Municipal uma Audiência Pública com a temática voltada para a Saúde Pública de Belo Jardim e os principais fatos ocorridos nos últimos dias. Estiveram presentes os Vereadores Bruno Galvão, Nilton Senhorinho, Pitomba da Lotação, Gilvandro Estrela, Marcelino Monteiro, Tenente, Marco Buchudo e Evandro Macarrão além de outras autoridades como a advogada e representante da OAB Dra. Valdirene e o Promotor de Justiça Dr. Daniel Ataíde, ex- secretário de saúde Dr. Maneco, ex-vereador Pomba, Antônio Gomes representando o Clube Lyons e Padre Magela.

O Vereador e Presidente Gilvandro Estrela deu início a Audiência Pública e as discussões relativas a mesma, sendo disponibilizados fala aos Vereadores, autoridades presentes e explanações do público presente, prevalecendo no Plenário o princípio democrático e a participação popular, cada participante com um tempo reservado de cinco minutos.  Na ocasião, fizeram-se presentes os familiares das vitimas prejudicadas nos últimos dias pela prestação do serviço público da saúde Municipal, que relataram as suas versões e estado de saúde após os efeitos da contraprestação estatal.

Uma das principais pontuações foi feita pelo Promotor de Justiça, que mesmo em meio delicado que é o período eleitoral, prestou informações ao público sobre a situação da terceirização da Saúde de Belo Jardim em contrato com o Hospital Santa Fé, afirmando que já existe Ação Cautelar pedindo o cancelamento do contrato por tratar-se de vínculo ilegal, pois verifica-se que o Hospital Público existe Bloco Cirúrgico, sendo desnecessário o deslocamento das cirurgias eletivas para órgão de saúde particular. Também estão sendo apurados os casos polêmicos de óbito e situação da estrutura física do veículo que continha as vitimas do acidente e seus possíveis responsáveis.

A reunião impactou não só o público presente, mas toda sociedade que acompanhava por meio das redes sociais e transmissão ao vivo, atentando-se a realidade que a cidade vive.

 

 

 

 


Imprimir